Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro da Encarnação

Historial de um Grupo Centenário

1840

A Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro pensa-se ter sido fundada em 1840, estando entre os seus fundadores um pároco desta freguesia, o Pe. José da Silva que, simultaneamente, desempenhou os cargos de regente e professor de música.

1871

Uma das épocas que mais brilhantes desta centenária Banda da Encarnação seria porém, por volta de 1871, quando foi seu regente um músico aposentado da Banda da Guarda Municipal de Lisboa, o mestre Severino Caetano de Castilho e Sá, que vindo da Ericeira, muito contribuiu com a sua arte para a divulgação da Sociedade.

1911

Entre os factos que se assinalam como mais honrosos para a Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro, encontra-se o convite que foi feito pelo Governo, em 1911, para que a Banda estivesse presente nas comemorações do 1º aniversário da República Portuguesa.

1920

Um período difícil para a Sociedade foi o que decorreu entre 1911 e 1920, pois a filarmónica dificilmente se conseguia manter, por falta de meios de subsistência e de músicos. Embora tentasse sobreviver pela batuta e vontade de um outro regente, o mestre Migueis, acabou por encerrar as portas.

1935

A Banda voltaria a ressurgir em 1935, pela vontade de alguns indivíduos, antigos músicos e outros amigos da música, formando Direcção, os Sr.es Marcelino Francisco, Álvaro da Cruz, e José Tavares de Oliveira. Foi convidado para regente o professor de música Sr. Eduardo de Oliveira Santos, que se manteve durante largos anos, até que pela sua idade e motivos de saúde, deixou de exercer o cargo, sendo substituído pelo 2º Sargento Músico do Exército Adriano Nunes, que por alguns anos tomou conta da banda e criou a escola de música, a qual obteve bons êxitos na formação de músicos e actuação em serviços particulares e oficiais. Veio substituí-lo o 1º Sargento Sr. Apolinário, músico na EPI, sendo mais tarde o seu sucessor o Sr António de Almeida, 1º Sargento da Marinha, mas que por motivos imprevistos permaneceu pouco tempo.

1950

Em 1950 foi formada nova Direcção, composta pelo reeleito Sr. Marcelino Francisco e pelos Sr.es Luís Ramos, Joaquim Moreira e Jaime Moreira, estando como regente o Sr. Zózimo Almeida Cabecinha, sendo também pouco duradoura a sua permanência, tendo sido convidado para regente o 1º Sargento Sr. António Luís da Costa, que estaria a exercer os serviços na EPI. A Direcção actual acabou o mandato, sendo eleita nova Direcção composta pelos Sr.es Norberto Firmino, José Henriques de Oliveira, Ambrósio Rodrigues e António Assis, os quais durante o seu mandato, trabalharam para a aquisição de uma sala de ensaio, que foi cedida à banda pela Junta de Freguesia, onde esteve instalada durante alguns anos.

1951

Em 1951 na escola de música foi aprendiz o Sr. Luís Filipe Moreira, que mais tarde, em 1960 ingressou na Banda da EPI em Mafra, como aprendiz de música, e seria dos primeiros a dar este passo, e a fazer carreira como músico profissional.

1955

Em 1955, a Direcção foi substituída pelos sr.es Luís Ramos, José Adriano Rodrigues, Faustino Gomes, José Pereira Dias, que por iniciativa da nova Direcção, mudaram de Regente, convidando o Sr. Manuel Martins dos Santos, 2º Sargento Músico na Banda do Exército, que durante alguns anos se deslocou de Lisboa à Encarnação, para ensaios e serviços, até que por motivos de saúde foi substituído pelo Sr. João Marcelino, 1º Sargento Músico da EPI. Mais tarde foi transferido de unidade, ficando a banda sob a regência do Sr. Tenente Amorim, então Chefe da Banda de Música da EPI, sendo depois substituído pelo Sr. Manuel Falé, 1º Sargento Músico em Mafra. Durante este período, fizeram parte da direcção e também como professores da escola de música, os Sr.es Francisco Manuel Moreira e José dos Passos Rodrigues, também eles Sargentos Músicos da Banda da EPI, e membros da nossa Banda.

1975

No ano de 1975, foi eleita nova Direcção, composta pelos Sr.es José Adriano Alves Rodrigues, António Paulo dos Santos e João Luís Gomes Assis, neste período passaram a vogais de Direcção os Sr.es Filipe Rodrigues, Luís Fernando Rosa e António Rodrigues. No mesmo ano, com o posto de 1º Sargento, assumia a chefia da banda o Sr. Luís Filipe Moreira, tendo o posto de Sargento Chefe Músico, e sendo o Chefe da Banda de Música em Mafra. Durante a sua regência e ensino, muitos foram os jovens que formou, sendo também na sua altura que ingressaram os primeiros elementos femininos.

1980

Da escola de música saíram muitos músicos que ingressaram nas fileiras da Banda de Música da EPI, principalmente nas décadas de 1960, 70 e 80, aí completando e desenvolvendo a sua formação musical, que juntamente com alguns reforços dessa banda militar, deram um forte impulso à Banda da Encarnação, sendo este um dos seus melhores períodos.

1985

Foi neste período que a banda participou no concurso da EDP, mais precisamente em 1985, tendo passado de fase, indo apresentar-se em concerto no teatro Garcia de Resende em Évora.

2001

Em 2001 assumiriam a Direcção da banda os Sr.es José dos Passos Rodrigues, Nuno Raposo e Humberto Gomes, mantendo-se o Sr. Adriano Rodrigues como Presidente Honorário, em virtude do seu amor pela Banda, mas que por fortes motivos de saúde estava impossibilitado de acompanhar as actividades.

2002

Em Dezembro de 2002, passou a assumir a direcção artística da Banda o Sr. António Manuel Dias Rodrigues, assim como da escola de música em conjunto com o Sr. Luís Moreira.

2010

Em Maio de 2010 tomaram posse novos corpos gerentes, sendo a nova Direcção presidida pelo Sr. Nuno Estrangeiro e composta pelos Sr.es Ricardo Rodrigues, Carina Alves, Joana Moreira, André Moreira e Paula Alves.

2014

Em 29 de Março de 2014 foi a vez de Lília Alves assumir a presidência da Direcção da Banda, tendo sido a primeira mulher a ser eleita para o cargo. Durante este período, são de notar, a Condecoração de Mérito da Cultura recebida do Secretário de Estado da Cultura a 31 de Agosto de 2014, e a participação no Desfile de Bandas Filarmónicas em Lisboa a 1 de Dezembro de 2016, em Comemorações do Dia da Restauração da Independência Nacional que contaram com a participação de 35 bandas de todo o país, num total de cerca de 1600 músicos.

2018

Em Outubro de 2018, passou a assumir a Direcção Artística da Banda o Maestro Joaquim Rodrigues, aproximadamente após 16 anos de regência pelo Maestro António Rodrigues.

2019

No dia 22 de Março de 2019 tomaram posse para o próximo triénio, os novos membros da Direcção: Leonor Moreira no cargo de Presidente, Marcelo Silva, Vice-Presidente, Carolina Reis como Tesoureira, André Alves, Secretário e ainda 4 vogais, Vitor Santos, Gisela Camocho, Paulo Simões e Carlos Moreira.